Blog

Nossa Gente

Gardênia de Almeida

A professora boneca que leva informação e brincadeiras para crianças

Publicado em: 26/09/2017 por Luana Barros

Secretaria de Educação

Gardênia de Almeida Bezerra, 33 anos, mãe e professora, criou a personagem Boneca Fofolete. De João Lisboa, morando em Imperatriz desde 2008, aos nove anos de idade ela teve seu primeiro contato com a arte, no Projeto Teatro de Rua, de Lília Diniz. Graduada em Letras, pela Universidade Estadual do Maranhão, leciona há 17 anos.

“A Fofolete reflete minha criança interior, que gosta de brincar, viajar no mundo da leitura e da imaginação, ver outras crianças sorrindo felizes e, principalmente, gosta de ser o motivo dessa alegria” - explicou.

A apresentação da personagem não é remunerada e sempre foi um trabalho voluntário.   “Amo minha profissão. Sempre digo que se não fosse professora, eu não sei o que seria. A Boneca Fofolete não é uma ação para ganhar dinheiro, levo muito à sério, mas  executo por amor” – enfatizou.

A ideia da personagem nasceu por volta de 2006. Na época, Gardênia era professora de Educação Infantil, no Povoado Açaizal Grande, município de Senador La Roque. “Lá, junto com a amiga Jardélia (em memória), fizemos uma animação em comemoração ao Dia das Crianças”.

Em 2008, durante campanha eleitoral, as apresentações eram feitas para ocupar as crianças durante as reuniões do partido político. Em 2009, ela começou a trabalhar na Escola Municipal da Amizade, onde a Tia Gardênia animou a criançada.

 “No ano seguinte, conheci as Bonecas Graciosas e fiquei encantada, eram meninas da Assembleia de Deus, do Bairro Bom Jesus, que se vestiam com roupas coloridas e perucas. Eu achei a coisa mais linda do mundo e todas as bonequinhas tinham um nome, e pensei: ‘É isso! Vou ser boneca!” - contou.

No decorrer dos anos, ministrando a disciplina de Literatura Infanto-juvenil para turmas de Letras da UEMA, em Açailândia, a Boneca Fofolete tomou forma. “A ideia era transformar aquelas quatro horas em sala, nas mais fantásticas do dia deles. Esse é o meu principal objetivo. Foi quando o nome Fofolete apareceu”.

Em 2015, durante evento beneficente promovido pelo SENAC, para crianças carentes da Vila Redenção, a Boneca Fofolete se apresentou e divulgou seu trabalho.

“Numa rede social, vi a publicação pedindo parceiros para o evento, inclusive para animação. E me ofereci. Na festa teve uma palestra sobre higiene bucal e aí me veio na cabeça: "Boneca Fofolete, que não gosta de chiclete!", pra conscientizar a criançada dos cuidados com os dentes”.

Hoje a professora Gardênia atua no Setor de Educação do Campo da Secretaria Municipal de Educação – Semed. No Projeto “Semana do Ler”, a Boneca Fofolete se apresentou em 18 escolas da Zona Rural. “Sou muito grata pela oportunidade. Ofereci meu dom para fazer da infância um lugar para se viver” – concluiu.

Atualmente, Gardênia programa iniciar apresentações da boneca de maneira remunerada e profissional. 

Nossa Gente

Apaixone-se por Imperatriz