Cultura

MELHORIAS

Fundação Cultural de Imperatriz passa por revitalização

Mudanças seguem a nova proposta de ocupar sua sede de forma permanente com diversas manifestações culturais

Publicado em: 22/06/2020 por Rafael Pestana

Fundação Cultural de Imperatriz

Fundação Cultural de Imperatriz passa por revitalização

As modificações contam com pintura, criação de novos espaços e otimização dos já existentes. (Foto: Rafael Pestana)

Nesta semana, a Fundação Cultural de Imperatriz, FCI, iniciou uma série de pequenas ações visando melhorar o seu espaço físico. Além das melhorias estruturais das instalações internas e com a otimização dos espaços, as mudanças também se dão no aspecto organizacional, com a realização de novos projetos voltados à difusão cultural. Dentre eles, a criação da Biblioteca Rotativa, de um museu e da retomada do espaço Seis e Meia.

“Nós somos um órgão que foi criado para fomentar a arte e a cultura na cidade, portanto, no momento todos os nossos novos projetos estão voltados para a criação de espaços permanentes de difusão cultural”, destaca José Ribeiro de Oliveira, presidente da FCI. O primeiro deles, que já está em andamento, é a criação da “Biblioteca Rotativa”, que, por meio de parcerias público-privadas, disponibilizará livros de autores nacionais e locais, para a troca e empréstimos.

“Qualquer pessoa que quiser pegar um livro, após um cadastro, pode levar, está à disposição da população, daí lê o livro e depois devolve. Também será possível realizar a troca de livros sem problema nenhum, desde que o livro a ser trocado esteja em boas condições de uso. Nós já temos uns 300 livros, e esperamos ainda a doação de mais três outras instituições”, explica o presidente da FCI.

Também na sede da Fundação Cultural, será criado um espaço voltado para as artes plásticas, artesanato e outras formas de manifestações artísticas. E no mesmo local será instalado um museu, aberto a visitações, misturando a cultura e a história imperatrizense. Já existe um acervo disponível para ser encaminhado para a FCI, faltando apenas a realização dos trâmites legais e da preparação do espaço. “Nós vamos pegar esse acervo, trazer para a Fundação, catalogar, gerar visibilidade, visitação e publicidade”, ressalta José Ribeiro de Oliveira.

O outro projeto que também já se encontra em andamento é o retorno do Espaço Seis e Meia. A iniciativa, que também será sediada na Fundação Cultural, segue a proposta da gestão de ocupar os espaços da FCI, trazendo a comunidade para o local. Para a preparação do espaço, a Fundação está aguardando uma remessa de madeiras, que será doada pelo Ibama. O projeto realiza apresentações musicais, com tributos à artistas consagrados e novos, levando cultura e um momento de descontração para a população, principalmente os que estiverem saindo do trabalho.

Cultura

Apaixone-se por Imperatriz