Imperatriz

Símbolos Oficiais

Bandeira de Imperatriz

promotora

A Bandeira de Imperatriz mede 1,60 m de largura por 1,12 m de altura, o que corresponde a 1.792 centímetros quadrados. Essa área é ocupada por três faixas de cores diferentes, pintadas no sentido longitudinal (horizontal). A faixa mais acima (superior) é de cor amarela e simboliza as riquezas do município (na época, principalmente o arroz, cuja casca, por sinal, é de cor amarelada). A faixa do meio (central) é de cor branca e quer lembrar paz, harmonia e concórdia. A faixa de baixo (inferior) tem a cor verde e representa as matas imperatrizenses, à época mais abundantes.

Outras duas cores estão presentes na bandeira: o azul de um triângulo localizado no meio da faixa central e o vermelho, das cinco pedras preciosas incrustadas em uma coroa amarela que está dentro do triângulo. O triângulo azul significa os três conjuntos das “forças vivas” do município: agricultura e pecuária, comércio e indústria; e educação e cultura. Por sua vez, a coroa simboliza o caráter nobre e de majestade da realeza imperial, aspectos evocados pelo nome “Imperatriz”, que veio do título de dona Teresa Cristina, esposa do imperador dom Pedro 2º.

O Autor – Quem criou e desenhou a Bandeira de Imperatriz foi o pintor Etevaldo Moreno de Araújo. Ele nasceu em 9 de abril de 1940, na localidade de Jacaré, no município maranhense de Barra do Corda. Com dois anos de idade, em 1942, veio para Imperatriz com a família, que procurava “lugares mais desenvolvidos”. O gosto pelo cinema levou-o a querer pintar e desenhar os atores. A partir daí, iniciou sua profissão de pintor e desenhista aos 18 anos, em 1958, deixando para trás os ofícios de agricultor e sapateiro. Aos 32 anos, em 1972, participou do concurso para a criação da bandeira de Imperatriz. Segundo ele, concorriam 61 outros candidatos.

Brasão de Imperatriz

promotora

O Brasão de Armas de Imperatriz é um escudo encimado por uma coroa e, sobre esta, uma faixa amarela com o nome do município em letras de cor verde. Abaixo do escudo, outra faixa amarela, com a frase “PAZ E PROGRESSO”, em letras verdes. No centro do escudo, o desenho de uma palmeira, ladeada por um pé de arroz e outro de milho.

A simbologia do escudo faz referência às riquezas do município (representadas pela cor amarela das faixas); à majestade e nobreza sugeridas pelo nome Imperatriz (representadas pela coroa); às riquezas vegetais que, na história do município, serviram de base ao seu crescimento econômico; à esperança de uma cidade que cresce sem conflitos, sentimento esse representado visualmente pela cor verde e literalmente pela expressão “Paz e Progresso”. Com o passar dos anos, leves alterações foram introduzidas em relação ao desenho original do Brasão.

O uso do Brasão de Armas de Imperatriz é obrigatório na Prefeitura Municipal, na Câmara de Vereadores e nos papéis oficiais dos poderes Executivo e Legislativo (documentos, papel de correspondências, convites e publicações oficiais).

O Autor –– Antônio Carlos da Silva é pintor e desenhista publicitário. Nasceu em 12 de abril de 1954, na localidade Morro do Caboclo, no município maranhense de Pedreiras. Começou a desenhar ainda criança e lembra que a primeira imagem que criou foi o rosto de Jesus Cristo. Veio para Imperatriz em 1971, à procura de trabalho. Segundo ele, tomou conhecimento do concurso para escolha dos símbolos da cidade porque “apareceu em jornais”. Resolveu participar e levou de cinco dias a uma semana para criar o brasão. Fez pesquisas com amigos, procurou se informar sobre a produção do município. Reside em Goiânia (GO).

Chave da Cidade

Hino da Cidade de Imperatriz

Imperatriz crescente
Com os matizes do progresso
Tens história imponente
Pelo valor de teu sucesso - bis

I
Com vibração de um ideal
Apresentas dever da mocidade
Com estrutura sem igual
Avultas porvir e lealdade

II
Tens constante riqueza, 
Do trabalho de filho e irmão 
Contemplam tua beleza, 
Que cintila os céus do Maranhão

 

O Hino de Imperatriz tem letra e música de José de Ribamar Fiquene, que foi professor, juiz de Direito e prefeito do município. O maestro Moisés da providência fez a instrumentação.

O Autor – José de Ribamar Fiquene é escritor, político, magistrado e educador. Nasceu em 27 de dezembro de 1930, no município maranhense de Itapecuru-Mirim. Em Imperatriz, foi promotor público, juiz de Direito e prefeito. Depois, foi vice-governador e assumiu o Governo do Estado do Maranhão. Publicou vários livros e compõe músicas. Além do Hino de Imperatriz, compôs o Hino do 50º Batalhão de Infantaria de Selva, sediado em Imperatriz. É membro da Academia Imperatrizense de Letras.

O Maestro –– Moisés da Providência Araújo foi o maestro e professor que fez a instrumentação do Hino de Imperatriz. A instrumentação é a escolha dos instrumentos adequados para a execução de uma peça musical. Moisés da Providência nasceu em 20 de janeiro de 1914, em Barra do Corda (MA) e morreu em 14 de outubro de 1991, em Imperatriz.

Apaixone-se por Imperatriz